Abogado Alexander Cross
Abogado James Millar
Daly City Dental Center
Dr. Alberto Chaparro
World Wide Credit Experts
Dr. Francisco García
Abogado Wilson Purves
Ayuda Financial
Imperial Travel
Pathway Insurance Agency
Jorge Brignole
City Toyota
Gonzales Dental Care
Kisla Gonzales
Dr. Francisco Barba
Sonrisas Bright Dental
Latch Quiroprácticos
Alquimia Med Spa
Araujo’s Restaurant
David Huete
Elías Travel
Desarrollo Virtual
Los Yaquis Restaurant
La Gallinita Meat Market
previous arrow
next arrow

Categoria: ,

Biden recua ante críticas e elevará a 62.500 refugiados admitidos nos EUA – ISTOÉ DINHEIRO

Autor: ISTOE DINHEIRO

Biden recua ante críticas e elevará a 62.500 refugiados admitidos nos EUA

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, fala em Norfolk, Virgínia, em 3 de maio de 2021 – AFP

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta segunda-feira (3) que vai aumentar a cota anual de refugiados que o país vai admitir para 62,5 mil, depois que sua decisão de manter o mínimo de 15 mil estabelecido pelo governo anterior gerou uma onda de críticas.

“Isso corrige um número historicamente baixo estabelecido pela administração anterior de 15.000, que não reflete os valores dos Estados Unidos como uma nação que acolhe e apoia refugiados”, disse a Casa Branca em nota.

Biden havia prometido cerca de 60.000, mas em 16 de abril recuou anunciando que estava adiando seu plano e mantendo o mínimo estabelecido pelo presidente republicano Donald Trump, desencadeando fortes críticas de seu próprio lado democrata.

O governo Biden argumentou no mês passado que o sistema que Trump deixou “estava ainda mais dizimado” do que pensava e que exigia um reordenamento maior para poder reconstruí-lo e cumprir com os compromissos.

Mas este adiamento da promessa de Biden gerou críticas de seu próprio partido, a começar pelo presidente do Comitê de Relações Exteriores do Senado, o poderoso Bob Menéndez, que considerou a cifra de 15.000 refugiados “assustadoramente baixa”.

Então, o governo Biden reagiu, destacando que este anúncio era “provisório” e que revisaria a cota definitiva antes de 15 de maio.

Nesta segunda, Menéndez comemorou o anúncio e disse que é “um passo importante para continuar com uma tradição bipartidária que o enche de orgulho para dar proteção aos refugiados”.

Antes de Trump reduzir o número de admissões, o governo de Barack Obama recebeu, em média, 100.000 refugiados por ano.

Lea Tambien:  Crece la oposición a la retirada del gobernador Gavin Newsom, según una encuesta

Em um comunicado, o chefe da diplomacia americana, Antony Blinken, destacou que ter um sistema de admissões robusto “não só é crucial para os interesses de política externa e de segurança nacional dos Estados Unidos, mas é um reflexo dos valores americanos”.

– Um total de 5.000 para a América Latina –

Segundo dados da Casa Branca, com a nova cota, o sistema de realocação de refugiados dará 22.000 vagas para a África, 6.000 ao leste da África, 6.000 para a Europa e a Ásia Central, 5.000 para a América Latina, 13.000 para o Oriente Médio e o Sul da Ásia e uma reserva adicional de 12.500.

Este plano abrange o atual ano fiscal, que termina em 30 de setembro, e o governo destacou que este aumento apontava aos esforços que já estão em andamento para expandir o sistema com o fim de admitir os refugiados e se encaminhar a um objetivo de 125.000 no ano que vem.

De acordo com o decreto, esse número de refugiados “envia uma mensagem importante de que os Estados Unidos continuam a ser um lugar seguro para algumas das pessoas mais vulneráveis do mundo”.

Este programa de admissão diz respeito apenas a refugiados selecionados por agências de inteligência e segurança dos Estados Unidos em acampamentos da ONU em todo o mundo para serem reassentados nos Estados Unidos, principalmente entre os mais vulneráveis, como idosos, viúvas ou portadores de deficiências.

A LIRS, uma das organizações mais importantes que ajudam os refugiados nos Estados Unidos, afirmou em um comunicado que como líder do “mundo livre”, o país tem a obrigação moral de fazer frente a esta crise.

Krish O’Mara Vignarajah, presidente da LIRS, reconheceu que o governo Trump dizimou a capacidade de receber as pessoas mais vulneráveis.

Lea Tambien:  Mercados asimilan la disyuntiva fiscal en Estados Unidos • Red Forbes

“O desafio de aumentar as admissões neste nível é extraordinário”, destacou.

Veja também

+ Carreira da Década – Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais

+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa

+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica

+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ Cinema, sexo e a cidade

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

Impactos: 1

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Relacionadas
¿Cuantos en Linea?

Visitantes en linea – 63024:
Usuarios – 6
Invitados – 58503
Robots – 4515

Te puede interesar también

¿Quieres hablar con nosotros en cabina?

Nuestros Horarios en el Estudio:

9am a 11am | 12m a 1pm | 4 a 5 pm | 5 a 6pm

horario del pacifico